Arte_7s_8a_ef_volume_1_(2014)

a o 7 SÉRIE 8 A  AN NO EN SIN INO O FUN UND DA M EN TA L – A N O S FIN A IS Caderno do Aluno  Volume  V olume 1  AR  A RTE Linguagens GOVERNO DO E STADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO MATERIAL DE APOIO MATERIAL APO IO AO CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO CADERNO DO ALUNO ARTE ENSINO FUNDAMENTAL FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS 7a SÉRIE/8o A ANO NO VOLUME 1 Nova edição 2014-2017 São Paulo Governo do Estado de São Paulo Governador  Geraldo Alckmin  Vice-Governador  Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Voorwald Secretário-Adjunto  João Cardoso Palma Filho Chefe de Gabinete Fernando Padula Novaes Subsecretária de Articulação Regional Rosania Morales Morroni Coordenadora da Escola de Formação e  Aperfeiçoamento dos Professores – EF EFAP Silvia Andrade da Cunha Galletta Coordenadora de Gestão da Educação Básica Maria Elizabete da Costa Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos Cleide Bauab Eid Bochixio Coordenadora de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional Ione Cristina Ribeiro de Assunção Coordenadora de Infraestrutura e Serviços Escolares Ana Leonor Sala Alonso Coordenadora de Orçamento e Finanças Claudia Chiaroni Afuso Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE Barjas Negri Caro(a) aluno(a), O conhecimento produzido ao longo do tempo é o nosso maior tesouro, além de ser o melhor instrumento que podemos utilizar para pa ra compreender o mundo que nos cerca e interagir com ele. Para ajudá-lo a preservar, ampliar e aproveitar os benefícios desse conhecimento é que foi preparado este material. Por meio dele você terá contato com as diferentes linguagens: oral, escrita, imagética, sonora e corporal. Elas vão ajudá-lo a expressar-se com a competência necessária para que cada vez mais você conheça a si mesmo, a sua cultura e o mundo em que vive. Neste primeiro volume do Caderno do Aluno, você estudará o suporte nas linguagens artísticas (artes visuais, dança, música e teatro), provocando um olhar para a materialidade na Arte. Também conhecerá a ruptura do suporte na tradição das linguagens artísticas, onde poderá aproximar-se das propostas de artistas contemporâneos, observando a materialidade de suas criações e seus modos de fazer arte. É uma ótima oportunidade de ampliar seu repertório! Bons estudos! Equipe Curricular de Arte  Área de Linguagens Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB Secretaria da Educação do Estado de São Paulo  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 TEMA: O SUPORTE NA MATERIALIDADE DA ARTE O QUE PENSO SOBRE BRE ART  ARTE E? Perguntas Perg untas para você conversar sobre o suporte:    O que você já usou para fazer arte? O que os artistas usam para fazer arte? O corpo pode ser usado para fazer arte? Justifique sua resposta. 5  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Responda à próxima pergunta resumindo o que você e sua classe conversaram sobre o suporte: O que nós pensamos sobre o suporte na arte?    ! ÇÃO  APRECIA ÇÃO Converse com seus colegas sobre as imagens a seguir:   o    h   n    i   t   u   o    C   e   a   n    I    © Barbatuques, grupo brasileiro de percussão corporal. 6  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   s   a    i   r   a    F   e   s    i   r   a    M    © Michel Groisman. ransferência, 1999. Performance .   x    i   p   y   s   a    E    /    k   c   o   t   s   o   t   o    f   e   g   a    /   s   o    l    l    i   c   e    l    l   a    V   s   a   c   u    L    © Cena de teatro nô. 7  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    k   c   o   t   s   n    i   t   a    L    /   s    i    b   r   o    C    /   e   g   a   m    I   e   v    i   s   s   e   r   g   o   r    P    /   n   a   w   o    R    b   o    B    © Mímico na “caixa invisível”. 8  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   r    B    A    /    i    d   n   o    i    B   o   r    d   e    P    © Grupo étnico Kuikuro . Quarup – Ritual de homenagem aos mortos.   O que está presente em todas as imagens? Nessas produções artísticas, o que é usado como suporte para fazer arte? O que ficou da conversa? 9  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ? !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 1 MÚSICA  ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Você sabia que é possível produzir sons com o nosso corpo? Usando apenas o nosso corpo, podemos fazer sons, melodias, ritmos e criar cria r arte. Ele é gratuito, portátil, bonito e versátil. O que você acha de usar o corpo dessa forma?    Você vai fazer agora uma experimentação sonora com o corpo. Depois, escreva sobre essa experimentação. Podemos produzir com o corpo sons mais agudos (estalos de dedos) e mais graves (batidas no peito). Quais sons você consegue produzir com o seu corpo?  Atenção, use seu corpo sem usar a voz, certo? Tente, Tente, por exemplo, esfregar um braço no outro ou nas pernas e ouça o som produzido. Experimente, crie sons diferentes.  Agudos Médios Graves Grav es Estalar os dedos Bater palmas Bater os dentes Bater na bochecha esticada  Bater em uma das palmas com dois dedos Bater palmas com as mãos atravessadas Bater no peito Estalar a língua com a boca em formato de “o” Bater palmas com as mãos em formato de concha   Agora que você já pesquisou os sons de seu corpo, vamos fazê-lo cantar. Pense Pense em um refrão de qualquer música que você conheça, pode ser até aquele grito de torcida de futebol. Você consegue cantá-lo só com palmas? 10  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 O QUE PENSO SOBRE BRE ART  ARTE E?  Quais instrumentos musicais você conhece?  Quais instrumentos musicais você já experimentou?  Os instrumentos musicais transformam-se no decorrer do tempo? Dê exemplos.  Nas páginas 12 e 13 há um espaço para colar imagens de instrumentos musicais. Na colagem, você pode juntar os instrumentos e classificá-los. 11  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 12  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 13  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ! ÇÃO  APRECIA ÇÃO  Jogo 1 – Qual é o instrumento? instrumento? Neste jogo, você vai descobrir qual é o som dos instrumentos mostrados na primeira coluna do quadro. Pode ser que você não conheça a sonoridade de todos eles, mas no jogo você vai conhecê-la.   a   r   o   t    i    d    E    4    G    © Imagem do do in instrumento Nome do in instrumento Contrabaixo elétrico Flauta transversal Violão Bateria  Saxofone tenor Saxofone alto Saxofone soprano Guitarra elétrica  Flauta doce soprano 14 Número da da fa faixa mu musical  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1  Jogo 2 – Acústico ou sampler ? Neste jogo, o desafio é saber se as músicas ouvidas foram produzidas com instrumentos acústicos ou instrumentos eletrônicos (samplers ).). Na categoria acústicos, entram instrumentos como o piano, o atabaque, o xilofone e a harpa, entre outros. Na categoria eletrônicos, entram instrumentos como os órgãos eletrônicos, os sintetizadores e os violinos elétricos, entre outros. Inicialmente, escute com atenção as gravações das mesmas músicas executadas nas duas versões: acústica ou sampler , assinalando-as no quadro abaixo. Discuta com os colegas como chegou a essa conclusão. Quais foram as diferenças que você pôde perceber? Música Instrumento Eletrônico  Acústico (sampler ) Versão CD Te Best of Johann Sebastian Bach, CD 2, faixa 2 CD Educação em Arte : música, v. 1, Sebastian Bach faixa 10 CD Music from Prince Igor/ Igor / Firebird , faixa 1 Dança do pássaro de  fogo, Igor Stravinsky  CD Educação em Arte : música, v. 1, faixa 11 CD Educação em Arte : música, v. 1, o Gymnopédie n  1, faixa 13 Erik Satie CD Satie : piano works, faixa 26 ocata e fuga em ré menor , Johann O lago dos cisnes , Piotr Ilitch Tchaikovsky  CD Educação em Arte : música, v. 1, faixa 12 CD Te best of Naxos , v. 1, faixa 11 Instrumento Eletrônico  Acústico (sampler ) Música / Versão Fato consumado, Djavan CD Educação em Arte : música, v. 1, faixa 14  Ave-Maria   AveMaria , Charles Gounod CD Educação em Arte : música, v. 1, faixa 15  Ave-Maria   Ave -Maria , Franz Peter Schubert CD Educação em Arte : música, v. 1, faixa 16  Missa  Mi ssa Papa apaee Mar Marcel celli  li , Giovanni Pierluigi da Palestrina  CD Educação em Arte : música, v. 1, faixa 17 15  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ?   ! !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 2 DANÇA  ÇÃO  APRECIA ÇÃO Converse com seus colegas sobre as imagens a seguir:   s   e   g   t    E   o    i    d   u   a    l    C    © Terpsí Teatro de Dança . E la nave no va II , 2003. Coreografia: Carlota Albuquerque. 16  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   s   e   g   t    E   o    i    d   u   a    l    C    ©   s   e   g   t    E   o    i    d   u   a    l    C    © 17  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1      O que chama a sua atenção no corpo dos dançarinos? Quando a dançarina se joga para trás e o dançarino a ampara, qual parte do corpo do dançarino e da dançarina dá suporte ao movimento? Quando o dançarino dá um abraço na dançarina e gira com ela no ar, o movimento de qual deles nos dá a sensação de força? E de suavidade? Quando a dançarina parece estar prestes a se ajoelhar, o que acontece com seu corpo para que ela não caia no chão? Como você percebe o corpo dos dançarinos? O que ficou da conversa? ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Diálogo do corpo com objetos – Impro Improvisação visação Você vai fazer uma experiência de percepção do corpo como suporte físico na dança. Depois do jogo, registre, na página ao lado, por meio de desenho e de cores, as sensações que você sentiu no corpo. 18  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 19  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ? !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 3  ARTES VISUAIS VIS UAIS ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Quais escadas você já subiu e desceu? Escadas retas, curvas, em espiral? Degraus largos, estreitos, inseguros, de pedra, de cimento, de madeira, de cerâmica, de terra? Deixe que a memória traga muitas escadas à sua mente...  Agora que você lembrou, vamos imaginar uma escada? Uma escada especial. Daquelas que causam medo, ou são perigosas, ou são esconderijos, ou estão envoltas em um clima de festa, ou qualquer outra emoção que a sua escada possa dar... Imaginou? Agora faça seu desenho! 20  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ! ÇÃO  APRECIA ÇÃO Observe as imagens a seguir seguir,, todas de obras da artista Regina Silveira:    Ao olhar as escadas, que sensação elas provocam? Essas Essas escadas são reais? Como você imagina que foram feitas? Que materiais foram utilizados para construí-las? Qual o suporte dessas obras?   a   r    i   e   v    l    i    S   a   n    i   g   e    R    ©   a   r    i   e   v    l    i    S   a   n    i   g   e    R    ©   a   r    i   e   v    l    i    S   a   n    i   g   e    R    © Regina Silveira . Projectio 2 , 1984. Instalação. Látex sobre painéis de madeira, 400 × 900 cm. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, São Paulo (SP). 21  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    A    U    E  ,   a    d    i   r    ó    l    F    i ,   m   a    i    M   e    d   e   t   r    A   e    d   u   e   s   u    M    /   o   n    i   m    i    C   o   t    i   r    B   a    i   r   e    l   a    G    © Regina Silveira . Escada inexplicável II , 1999. Instalação. Recorte e pintura sobre poliestireno, 300 × 580 × 200 cm. Museu de Arte de Miami, Flórida, EUA. 22  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   n   o   t   e   n   e    B   e   n   a    i   t   s    i   r    C    © Regina Silveira . Descendo a escada, 2002. Instalação multimídia. Instituto Itaú Cultural, São Paulo (SP). 23  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1  Agora observe outras duas imagens, de outros artistas contemporâneos:   Em comparação com as obras de Regina Silveira, o que podemos ver como suporte nas obras de Leda Catunda e do grupo SCIArts? Podemos dizer que os suportes dessas obras são convencionais ou não convencionais? Por quê?   o    ã    d   n   a   r    B   u    d    E    © Onça-pintada n no 1, 1984. Acrílica sobre cobertor, 192,5 × 157,5 cm. Leda Catunda . Onça-pintada  24  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   a    h   n   o   r   p   m   a    Z   n   o   s    d    E   e   s   t   r    A    I    C    S    ©  Atrator ator poét poético ico, 2005. Instalação multimídia interativa. Instituto Itaú Cultural, São Paulo (SP). SCIArts – Equipe Interdisciplinar e Edson Zampronha . Atr O que ficou da conversa? 25  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A   Assim como um artista, você receberá uma encomenda de seu professor professor.. O que será? 26  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 27  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ?   ! !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 4 TEATRO ÇÃO  APRECIA ÇÃO Observe pequenos momentos de cena. O primeiro foi registrado pelo artista holandês Gerard Valck (1651-1726). Os outros três foram registrados pelo olhar de fotógrafos. fot ógrafos.   Observe a gestualidade das mãos dos atores e das atrizes. O que os gestos podem nos dizer? Podemos dizer que o corpo do ator é o suporte físico da criação teatral? Há diferença entre o gesto que o corpo criador faz no teatro e o gesto que é feito pelo corpo no cotidiano?   t   e   n  .   s   o   t   c   a    f    e   t   r   a    /   s   e   u   g    i   r    d   o    R   o   g   u    H    ©    k   c   o   t   s   n    i   t   a    L    /   s   e   g   a   m    I    g    k    A    /   m   u    b    l    A    ©  Arlequim, personagem da commedia dell’arte   italiana. ( Gerard Valck .  Arlequim, c. 1680. Gravura em metal.) 28 Inês Vaz e Diogo Bento. Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett , 2012.  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    k   c   o   t   s   n    i   t   a    L    /   s    i    b   r   o    C    /   a   r   a    h   u    k   u    F    d   r   a    h   c    i    R    © Personagem do teatro kabuki .   s   s   e   r   p   a    h    l   o    F    /   a   t    i   u   g   u    S   y   e   n    d   o    R    © Denise Stoklos. Mais  pesado que o ar/ Santos Dumont , 1996. 29  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 O que ficou da conversa? ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Você vai participar de dois jogos teatrais. Depois, vai assistir a seus amigos jogando. Como plateia, anote suas observações no espaço a seguir. O que eu vejo no jogo teatral como plateia? O que estou comendo? Cheirando? Ouvindo? Pegando? Olhando? O que estou empurrando? 30  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Pesquisa sensorial do paladar, do olfato, da audição e do tato Em casa, faça as experiências a seguir:    quando você estiver comendo, feche os olhos e se concentre no sabor e no aroma da comida; quando você estiver em seu quarto, feche os olhos e se concentre nos ruídos e silêncios da casa e lá de fora; quando você estiver lavando o rosto, feche os olhos e se concentre no tato com a pele.  Após cada uma dessas experiências, registre o que você percebeu, o que sentiu e o que mudou quando você realizou essas ações de olhos fechados. 31  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ? !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 5 CONE X ÕES ÕES COM O TERRITÓRIO DAS LINGUAGENS  ARTÍSTICAS  AR TÍSTICAS ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Revendo todas as imagens presentes, até o momento, e as produções que você fez, invente uma chamada de primeira página de jornal contendo: um título, uma ilustração e um pequeno texto (com o propósito de chamar a atenção do leitor para a continuidade da notícia em outra página). O tema da notícia notí cia é: “As linguagens da arte que os jovens j ovens conhecem”. conhecem”. VOCÊ  APRENDEU? O que é usado como suporte para fazer arte? Você pode inventar um mapa para viajar no território das linguagens artísticas. 32  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1  APRENDENDO  A  APRENDER   APRENDER  Se você andar pelo shopping , pelo mercado ou por uma rua de comércio, o que pode encontrar para utilizar como suporte inusitado em alguma produção artística, como artes visuais, dança, música ou teatro? 33  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 TEMA:  A RU RUPTUR PTURA A DO DO SUPOR SUPORTE TE NAS LING LINGUA UAGEN GENSS AR ARTÍS TÍSTICA TICASS   ! ÇÃO  APRECIA ÇÃO Observe as duas imagens apresentadas nas próximas páginas e converse sobre elas com seus colegas.  O que são essas obras? São simplesmente uma TV e uma bicicleta? São um vídeo projetado na TV e uma imagem projetada na parede?  O que há de semelhante e de diferente nas duas obras?  Podemos definir a linguagem artística de cada uma? Comente.     A interação com a obra é necessária para que ela exista? Justifique. Como cada obra foi realizada? Que aparatos tecnológicos foram necessários? Com que linguagens da arte se relacionam? O que ficou da conversa? 34  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   c   s   a   n   o    D   o    i   v    á   t    O    © Otávio Donasci. PlasmaCriatura (dançando com uma mulher) , 2004. Performance . Videocriatura com rosto e parte do corpo de monitor de plasma de 42 polegadas. Em um estúd io, ligado à criatura por um cabo, um ator i nterpreta ao vivo o pedaço do corpo que aparece no plasma e tudo é operacionalizado por um programa de edição em um computador. Há troca de  performer  masculino por feminino, e a definição de imagem do plasma possibilita uma interação mais forte. Microcâmera e monitores internos na videocriatura permitem a visualização do público pelo  performer . 35  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   n    i    d    l   a    i    F   o    l   u   m   o    R    © Guto Lacaz . Ciclo-cine , 1995. Instalação. Bicicleta, dínamo, luz vermelha e projetor. 36  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ?   ! !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 6 MÚSICA  ÇÃO  APRECIA ÇÃO Ruídos que se transformam em música  Você conhece a música Sinfonia dos brinquedos ? Na sala de informática, em grupo, você poderá fazer uma escuta atenta dessa música, após uma pesquisa na internet.   Ao ouvir, ouvir, você consegue dizer quais são os instrumentos musicais que estão sendo utilizados?  Desses instrumentos, quais são os sons produzidos por instrumentos musicais convencionais?  Quais são os ruídos? Quando eles aparecem? O que ficou da conversa? 37  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Outro exemplo de música que trabalha com experimentação é a peça Helicopter string quartet (1992-1993), para para quarteto de cordas, quatro helicópteros com pilotos e quatro técnicos de som, quatro transmissores de V, transmissores de som, auditório com quatro colunas com televisão e quatro colunas de alto-falantes, projecionista de som com console para mixagem , do compositor alemão Karlheinz Stockhausen.  Já na leitura do título é possível perceber perceber que essa música não tem nada de convencional.   Quais seriam os instrumentos mais conhecidos apontados no título? Quais seriam os instrumentos não convencionais? Você pode conferir o processo de composição, as fotos da execução, o mapa de som, a partitura e um trecho de 5 minutos da peça (o total tem aproximadamente 32 minutos) no site  (em inglês) (acesso em: 28 ago. 2013). Se não for possível acessar o site , aguarde as orientações de seu professor. professor.    O que você sentiu ouvindo essa música? O que achou da ideia do compositor? O que você faria diferente? Escreva suas respostas no espaço a seguir: 38  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 O QUE PENSO SOBRE BRE ART  ARTE E?    Para você, o que é o ruído? Lembrando que som pode ser um tom ou um ruído, qual é o primeiro som que você ouve quando acorda? Investigue com os colegas e o professor quais foram as respostas para a pergunta anterior. Agora, vamos organizá-las. Definimos alguns critérios de organização, mas você pode escolher os seus: Sons  vocais Sons de natureza  Sons de máquina  39  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1  Qual foi a coluna que ficou mais completa? Alguém mencionou o silêncio?  O que esse levantamento diz sobre o ambiente sonoro de sua casa e sobre você mesmo?  Para você, é possível a criação de composição musical com os ruídos do ambiente? Como seria? 40  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Sua própria música com ruídos  Assim como as músicas Sinfonia dos brinquedos e Helicopter string quartet  apresentaram  apresentaram ruídos na sua composição, o que você acha de fazer sua própria composição? composição ? Em grupo de no máximo quatro colegas, escolham alguns dos ruídos levantados na proposição anterior e mãos à obra! O espaço a seguir é para você registrar seu processo de criação.    De onde veio a ideia?  A composição é uma imitação do ambiente sonoro, uma música instrumental? Quais critérios foram utilizados para a escolha do(s) ruído(s)? 41  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Para realizar a pesquisa em grupo, escolham uma emissora de rádio para fazer a escuta da programação: ela pode ser AM ou FM (mas cuidado para que não haja repetição de emissoras). Na escuta, vocês devem anotar e, se possível, gravar:     a identificação da estação selecionada, com o seu nome e a posição no dial  do  do rádio. a descrição do tipo de música e do conteúdo da programação: música instrumental, popular, erudita, brasileira, mix ...; ...; os gêneros, com exemplos de artistas e gravação de trechos de músicas; programas jornalísticos, jornalísticos, religiosos, de informação sobre o trânsito etc. a caracterização dos locutores: voz masculina ou feminina, grave ou aguda; linguagem formal ou informal, jornalística ou casual; o uso de gírias. as propagandas veiculadas na programação, gravando exemplos de  jingles . 42  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 No espaço a seguir, registre registre o texto coletivo que você e seu grupo produziram com co m base na discussão do material coletado. O som dos DJs  Aguarde seu professor para receber detalhes de como vai ser esta pesquisa. 43  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ?   ! !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 7 DANÇA  ÇÃO  APRECIA ÇÃO Para conversar em grupo, observe a expressão do movimento dos corpos nas imagens da roda de capoeira e do breakdance apresentadas a partir da próxima página.  Para você, essas duas manifestações podem ser consideradas linguagens da dança? Comente.  Como são os movimentos na capoeira e como é a música que os acompanha?    Como você descreve os movimentos do breakdance  e  e a música que os acompanha? Quais elementos são semelhantes e diferentes nas duas manifestações? Quem entre os alunos é praticante da cultura rap ou da capoeira? O que ficou da conversa? 44  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   r    B    A    /   a   z    ú    i    F   a   z    l    E    © Roda de capoeira.   e    l    fi   e   u   g   r   o    M    /   a    f   a    j    a   w    K   e    l    l   e    h   c    i    M    © Breakdance. Apresentação de um b-boy. 45  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1  Agora, observe outras imagens:   s   e   g   a   m    I   y   t   t   e    G    /    k   c   o   t   s    k   n    i    T    /   g   n    i    h   s    i    l    b   u    P   m   a   r   g   n    I    © Dança clássica. 46  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   s   e   g   a   m    I   y   t   t   e    G    /   e   c   r   u   o    S   e   g   a   m    I    © Dança moderna. 47  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Dança contemporânea. ( Companhia TeatroDança Ivaldo Bertazzo. Mar de gente , 2007.) 48  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   e    d   a   r    P   a    l    i   c   s    i   r    P    © 49  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    Observe o corpo dos dançarinos. O que há de diferente e de semelhante no corpo que dança a dança clássica, a moderna e a contemporânea? Como você imagina que os dançarinos preparam o corpo? Será que existe alguma relação entre procedimentos e métodos corporais, formas de criação em dança e a preparação do corpo do dançarino? Para quem pratica a capoeira e o breakdance, será que há técnicas corporais e preparação do corpo? Comente. O que ficou da conversa? 50  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 VOCÊ  APRENDEU?  A matéria da dança é o corpo. Pense sobre sobre o que foi conversado, o que foi observado o bservado nas imagens e o que seu professor ofereceu de informação. Escreva palavras-chave para dizer o que você pensa sobre o corpo que dança. ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Depois de ver tantos corpos em movimento, aguarde uma encomenda de seu professor.  Após cumpri-la, registre no espaço a seguir qual a sensação que essa experiência proporcionou. 51  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ?   ! !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 8  ARTES VISUAIS VIS UAIS ÇÃO  APRECIA ÇÃO Nas duas imagens apresentadas a seguir, vemos duas obras importantes. Uma está reproduzida em um desenho e a outra foi fotografada. Converse com seus colegas sobre elas.  Você conhece essas obras?  O que se pode ler delas com relação à moldura e à base?  E quanto à relação entre o tamanho da figura humana e a dimensão das obras?  Por que a pintura e a escultura são as modalidades mais conhecidas? O que ficou da conversa? 52  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   o   t   a    h   s   a    k   a    N   e   m   r   e    h    l    i   u    G    © Guilherme Nakashato. Desenho relembrando sua visita quando criança ao Museu Paulista, acompanhado do texto: “ O grito da Independência , de Pedro  Américo.. O primeiro  Américo primeiro quadro que vi com meus próprios próprios olhos. Enorme! Aquele Aquele era o quadro que cabia no meu livro livro de Estudos Sociais?!” Sociais?!”..   s    i   e    R    ff   e    G    © bandeiras , 1953. Escultura. Granito, 43,8 × 11,0 × 8,4 m. Parque Ibirapuera, São Paulo (SP).  Victor Brecheret  Brecheret . Monumento às bandeiras  53  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    E o que lê nas obras contemporâneas a seguir? Quais modalidades são essas? Instalação,  performance , objeto? O que você sabe sobre as modalidades das artes visuais?   z   a   c   a    L   o   t   u    G    ©  Auditório ório para q uestõ uestões es delica d elica das , 1989. Projeto de instalação para o Parque Ibirapuera, São Paulo (SP). Guto Lacaz .  Audit 54  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   n    i    d    l   a    i    F   o    l   u   m   o    R    ©  Auditó itó rio para que questõ stõ es del ica da das  s , 1989. Cadeiras, estrutura em alumínio e arame, flutuadores de poliuretano, 10,7 Guto Lacaz .  Aud ×  0,8 m. Parque Ibirapuera, São Paulo (SP). 55 ×  10,7  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   r   e    l   s   s   e       a    d    i    l    E    © Elida Tessler. Você me dá sua palavra? , 2004. Instalação (work in progress , ou seja, trabalho em progresso). Corda para varal, pregadores e caneta esferográfica. 56  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   s   a    i   r   a    F   e   s    i   r   a    M    © Michel Groisman. ransferência , 1999. Performance . 57  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 O que ficou da conversa? ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Você vai receber uma encomenda de seu professor. professor. Depois de fazê-la e de conversar sobre ela, registre suas observações. VOCÊ  APRENDEU? O que a experiência vivida na Ação expressiva mudou o seu modo de perceber o suporte nas artes visuais? 58  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ?   ! !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 9 TEATRO ÇÃO  APRECIA ÇÃO  As imagens i magens apresentadas a partir da próxima página mostram o artista plástico Guto Lacaz e seu assistente, Francisco Javier, Javier, em um palco de teatro. Vamos lançar os olhos sobre elas e conversar em grupo.     Como você imagina que Guto Lacaz e seu assistente mexem nessas máquinas? Será que, pela maneira como eles mexem nessas máquinas, elas mudam de função? Essas máquinas foram pensadas e produzidas pelo artista para a realização de uma ação, mas para que tipo de ação? Em que a leitura do programa do espetáculo  Máquinas II ajuda você a perceber o que Guto Lacaz e Francisco Javier realizam na  performance ? Do que foi conversado, o que você imagina que seja uma  performance ? Qual a diferença entre a ação do artista em uma  performance  e  e a ação do ator em uma forma de apresentação teatral que você conhece? O que ficou da conversa? 59  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   n    i    d    l   a    i    F   o    l   u   m   o    R    © Máquinas II Espetáculo de Guto Lacaz Máquinas II  é o resultado de 50 anos de pesquisas acidentais e testes de laboratório. Dentre milhares de produtos avaliados em nosso Instituto, foram selecionados 85, considerados síntese cultural e tecnológica do mundo contemporâneo. Descobrindo o lado secreto destes objetos, conseguimos estabelecer curiosas e surpreendentes relações entre eles. O resultado deste trabalho é apresentado em 25 performances, onde Guto Lacaz e seu assistente Francisco Javier Judas y Manubens apresentam experimentos ricos em plasticidade, precisão e surpresa, que transformarão sua vida – para melhor. Máquinas II conta ainda com a participação de ac Isabelle e de mais 3 convidados em cenas especiais. Guto Lacaz . Máquinas II , 2009. Performance . Teatro Teatro Aliança Francesa, São Paulo (SP). 60 Jorge Farah na romântica performance  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   n    i    d    l   a    i    F   o    l   u   m   o    R    © Ficha técnica criação, direção e apresentaç apresentação ão Guto Lacaz assistente de direção Cristina Mutarelli direção de produção/adm. Henrique Lanfranchi partner  Francisco Javier Judas y Manubens convidado especial ac cantora Natália Barros Eurídice surpresa pianista Paulo Braga trilha sonora   Jorge Farah Carlos Careqa iluminação André Boll fotogra as omulo Fialdini assistente de palco Gyorgy Forrai realização Arte Moderna  Agradecimentos  Agradecimen tos Cynthia Vasconcelos Vasconcelos 61  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 VOCÊ  APRENDEU? Registre a seguir, por palavras ou desenho, três verbos que expressam os significados construídos por você nessa conversa sobre  performance . Você vai fazer uma pesquisa em grupo para saber mais sobre performance  e  e happening. Aguarde seu professor dizer o que seu grupo vai pesquisar e, depois, apresentar. apresentar. Registre a seguir quais são seus colegas de grupo, qual será o objetivo da pesquisa e como vocês apresentarão os resultados que encontrarem. 62  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ! ÇÃO  APRECIA ÇÃO Converse com seus colegas a respeito das imagens a seguir:    i   c   s   a   n   o    D   o    i   v    á   t    O    © Cia. Videocriaturas. Cabaret videocriaturas , 2003. Criação e direção: Otávio Donasci. Performance . Espetáculo em ambiente com mesinhas e luz baixa, como um cabaré. Em um palco pequeno, são apresentados vários números com videocriaturas diferentes em estilos vaudeville  e  e circense, que invadem a plateia em alguns momentos. Com os números (interativos ( interativos na maioria das vezes), demonstra-se demon stra-se uma nova modalidade: o videoteatro, no qual dois ou mai s atores se fundem em uma videocriatura, criando um ser híbrido. 63  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   c   s   a   n   o    D   o    i   v    á   t    O    © Otávio Donasci. Videocópterus , 1994. Projeto para o 10 o Festival Internacional de d e Arte Eletrônica Videobrasil, Sesc SP, SP, São Paulo (SP). 64  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1    i   c   s   a   n   o    D   o    i   v    á   t    O    © Otávio Donasci. PlasmaCriatura (dançando), 2004. Performance . 65  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Essas imagens mostram a criação do artista Otávio Donasci.    O que chama a sua atenção nas imagens? O que provoca estranhamento? Como você imagina que seja a criação dessa mistura de homem com máquina, de homem com vídeo? Quando olhamos as imagens das  performances , o que há de semelhante e de diferente entre a  com o aspirador de pó de  Máquinas II , de Guto Lacaz, e o projeto Videocópterus ,  performance  com de Otávio Donasci? O que ficou da conversa? VOCÊ  APRENDEU? O que mudou em seu modo de pensar teatro diante dessas videocriaturas que misturam vídeo, teatro e performance ? 66  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 ÇÃO E X PRE  A ÇÃO PRESSIV   A  Três ações: PARAR. SENTAR. OLHAR.  Aguarde a encomenda de seu professor professor para saber o que fazer com essas ações. Registre aqui suas impressões sobre o que aconteceu durante a realização da encomenda. 67  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ? !   SITUAǠàO DE APRENDIZAGEM 10 CONE X ÕES ÕES COM O TERRITÓRIO DE PROCESSO DE CRIAǠàO  Agora que você já olhou para todas as imagens presentes neste Caderno e para as suas próprias produções, a proposta é criar um mapa do território de processo de criação, traçando ilhas, mares, trilhas, lugares etc., com ações que você imagina que fazem parte de um processo de criação em a rte. VOCÊ  APRENDEU? Lembrando o que você estudou, as imagens que observou, as informações do professor e as conversas durante as aulas, escreva dez coisas que podem ser usadas como suporte para fazer arte. 1 6 2 7 3 8 4 9 5 10 68  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1   ? !   NUTRIǠàO ESTÉTICA  Temas: O suporte na materialidade da arte e A ruptura do suporte nas linguagens artísticas.  Depois de montar com seu professor e seus colegas o painel coletivo com imagens que mostram a ideia da ruptura do suporte, registre a seguir como você compreende a ruptura da tradição na arte e o que mais chamou a sua atenção no painel.  APRENDENDO  A  APRENDER   APRENDER  Olhe o corpo das pessoas. O que você vê? O corpo é suporte? O corpo é suporte da roupa-embalagem? O corpo é suporte para o grafite na pele com tatuagens? O corpo é suporte para os implantes de silicone? O corpo é suporte para um penteado? O corpo é suporte para os furos dos  piercings ? No mundo contemporâneo, o que pode o corpo-suporte? 69  Arte – 7a  série/8o ano – Volume 1 Livros     BOGÉA, Inês. O livro da dança . São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2002. (Coleção Profissões.) D’AMBROSIO, Oscar. Contando a arte de Estevão. São Paulo: Noovha América, 2007. MARCHAND, Pierre.  A música dos instrumentos : das flautas de osso da Pré-história às guitarras elétricas. São Paulo: Melhoramentos, 1994. TURNER, Barrie Carson. O mundo do piano. São Paulo: Melhoramentos, 1997. (Série Ler e Ouvir.) Sites          BARBATUQUES. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2013. DENISE STOKLOS. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2013. ELIDA TESSLER. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2013. ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL DE ARTE E CULTURA BRASILEIRAS. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2013. GUTO LACAZ. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2013. REGINA SILVEIRA. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2013. TERPSÍ TEATRO DE DANÇA. Disponível em: . Acesso em: 2 jul. 2013. VICTOR BRECHERET. BRECHERET. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2013. 70 CONCEPÇÃO E COORDENAÇÃO GERAL NOVA EDIÇÃO 2014-2017 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA – CGEB Coordenadora Maria Elizabete da Costa Diretor do Departamento de Desenvolvimento Curricular de Gestão da Educação Básica João Freitas da Silva Diretora do Centro de Ensino Fundamental dos Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional – CEFAF Valéria Tarantello de Georgel Coordenadora Geral do Programa São Paulo faz escola Valéria Tarantello de Georgel Coordenação Técnica Roberto Canossa Roberto Liberato Suely Cristina de Albuquerque Bomm EQUIPES CURRICULARES Área de Linguagens Arte: Ana Cristina dos Santos Siqueira, Carlos Eduardo Povinha, Kátia Lucila Bueno e Roseli Ventrela. Educação Física:  Marcelo Ortega Amorim, Maria Elisa Kobs Zacarias, Mirna Leia Violin Brandt, Rosângela Aparecida de Paiva e Sergio Roberto Silveira. Língua Estrangeira Moderna (Inglês e Espanhol): Ana Paula de Oliveira Lopes, Jucimeire de Souza Bispo, Marina Tsunokawa Shimabukuro, Neide Ferreira Gaspar e Sílvia Cristina Gomes Nogueira. Língua Portuguesa e Literatura:  Angela Maria Baltieri Souza, Claricia Akemi Eguti, Idê Moraes dos Santos, João Mário Santana, Kátia Regina Pessoa, Mara Lúcia David, Marcos Rodrigues Ferreira, Roseli Cordeiro Cardoso e Rozeli Frasca Bueno Alves. Área de Matemática Matemática: Carlos Tadeu da Graça Barros, Ivan Castilho, João dos Santos, Otavio Yoshio Yamanaka, Ya manaka, Rodrigo Soares de Sá, Rosana Jorge Monteiro, Sandra Maira Zen Zacarias e Vanderley Aparecido Cornatione. Área de Ciências da Natureza Biologia: Aparecida Kida Sanches, Elizabeth Reymi Rodrigues, Juliana Pavani de Paula Bueno e Rodrigo Ponce. Ciências: Eleuza Vania Maria Lagos Guazzelli, Gisele Nanini Mathias, Herbert Gomes da Silva e Maria da Graça de Jesus Mendes. Física: Carolina dos Santos Batista, Fábio Bresighello Beig, Renata Cristina de Andrade Oliveira e Tatiana Souza da Luz Stroeymeyte. Química: Ana Joaquina Simões S. de Matos Carvalho, Jeronimo da Silva Barbosa Filho, João Batista Santos Junior e Natalina de Fátima Mateus. Rosângela Teodoro Gonçalves, Roseli Soares Jacomini, Silvia Ignês Peruquetti Bortolatto e Zilda Meira de Aguiar Gomes. Área de Ciências Humanas Filosofia: Emerson Costa, Tânia Gonçalves e Teônia de Abreu Ferreira. Área de Ciências da Natureza Biologia: Aureli Martins Sartori de Toledo, Evandro Rodrigues Vargas Silvério, Fernanda Rezende Pedroza, Regiani Braguim Chioderoli e Rosimara Santana da Silva Alves. Geografia: Andréia Cristina Barroso Cardoso, Débora Regina Aversan e Sérgio Luiz Damiati. História: Cynthia Moreira Marcucci, Maria Margarete dos Santos e Walter Nicolas Otheguy Fernandez. Sociologia: Alan Vitor Corrêa, Carlos Fernando de Almeida e Tony Shigueki Nakatani. PROFESSORES COORDENADORES DO NÚCLEO PEDAGÓGICO Área de Linguagens Educação Física: Ana Lucia Steidle, Eliana Cristine Budisk de Lima, Fabiana Oliveira da Silva, Isabel Cristina Albergoni, Karina Xavier Xavier,, Katia Mendes e Silva, Liliane Renata Ta Tank nk Gullo, Marcia Magali Rodrigues dos Santos, Mônica Antonia Cucatto da Silva, Patrícia Pinto Santiago, Regina Maria Lopes, Sandra Pereira Mendes, Sebastiana Gonçalves Ferreira Viscardi, Silvana Alves Muniz. Língua Estrangeira Moderna (Inglês):  Célia Regina Teixeira da Costa, Cleide Antunes Silva, Ednéa Boso, Edney Couto de Souza, Elana Simone Schiavo Caramano, Eliane Graciela dos Santos Santana, Elisabeth Pacheco Lomba Kozokoski, Fabiola Maciel Saldão, Isabel Cristina dos Santos Dias, Juliana Munhoz dos Santos, Kátia Vitorian Gellers, Lídia Maria Batista Bom m, Lindomar Alves de Oliveira, Lúcia Aparecida Arantes, Mauro Celso de Souza, Neusa A. Abrunhosa Tápias, Patrícia Helena Passos, Renata Motta Chicoli Belchior, Belchior, Renato José de Souza, Sandra Regina Teixeira Teixeira Batista de Campos e Silmara Santade Masiero. Língua Portuguesa:  Andrea Righeto, Edilene Bachega R. Viveiros, Eliane Cristina Gonçalves Ramos, Graciana B. Ignacio Cunha, Letícia M. de Barros L. Viviani, Luciana de Paula Diniz, Márcia Regina Xavier Gardenal, Maria Cristina Cunha Riondet Costa, Maria José de Miranda Nascimento, Maria Márcia Zamprônio Pedroso, Patrícia Fernanda Morande Roveri, Ronaldo Cesar Alexandre Formici, Selma Rodrigues e Sílvia Regina Peres. Área de Matemática Matemática:  Carlos Alexandre Emídio, Clóvis Antonio de Lima, Delizabeth Evanir Malavazzi, Edinei Pereira de Sousa, Eduardo Granado Garcia, Evaristo Glória, Everaldo José Machado de Lima, Fabio Augusto Trevisan, Inês Chiarelli Dias, Ivan Castilho, José Maria Sales Júnior, Luciana Moraes Funada, Luciana Vanessa de Almeida Buranello, Mário José Pagotto, Paula Pereira Guanais, Regina Helena de Oliveira Rodrigues, Robson Rossi, Rodrigo Soares de Sá, Rosana Jorge Monteiro, Ciências: Davi Andrade Pacheco, Franklin Julio de Melo, Liamara P. Rocha da Silva, Marceline de Lima, Paulo Garcez Fernandes, Paulo Roberto Orlandi Valdastri, Rosimeire da Cunha e W ilson Luís Prati. Física: Ana Claudia Cossini Martins, Ana Paula Vieira Costa, André Henrique Ghel Runo, Cristiane Gislene Bezerra, Fabiana Hernandes M. Garcia, Leandro dos Reis Marques, Marcio Bortoletto Fessel, Marta Ferreira Mafra, Rafael Plana Simões e Rui Buosi. Química: Armenak Bolean, Cátia Lunardi, Cirila Tacconi, Daniel B. Nascimento, Elizandra C. S. Lopes, Gerson N. Silva, Idma A. C. Ferreira, Laura C. A. Xavier, Marcos Antônio Gimenes, Massuko S. Warigoda, Roza K. Morikawa, Sílvia H. M. Fernandes, Valdir P. Berti e Willian G. Jesus. Área de Ciências Humanas Filosofia: Álex Roberto Genelhu Soares, Anderson Gomes de Paiva, Anderson Luiz Pereira, Claudio Nitsch Medeiros e José Aparecido Vidal. Geografia: Ana Helena Veneziani Vitor, Célio Batista da Silva, Edison Luiz Barbosa de Souza, Edivaldo Bezerra Viana, Elizete Buranello Perez, Márcio Luiz Verni, Milton Paulo dos Santos, Mônica Estevan, Regina Célia Batista, Rita de Cássia Araujo, Rosinei Aparecida Ribeiro Libório, Sandra Raquel Scassola Dias, Selma Marli Trivellato e Sonia Maria M. Romano. História: Aparecida de Fátima dos Santos Pereira, Carla Flaitt Valentini, Claudia Elisabete Silva, Cristiane Gonçalves de Campos, Cristina de Lima Cardoso Leme, Ellen Claudia Cardoso Doretto, Ester Galesi Gryga, Karin Sant’Ana Kossling, Marcia Aparecida Ferrari Salgado de Barros, Mercia Albertina de Lima Camargo, Priscila Lourenço, Rogerio Sicchieri, Sandra Maria Fodra e Walter Garcia de Carvalho Vilas Boas. Sociologia: Anselmo Luis Fernandes Gonçalves, Celso Francisco do Ó, Lucila Conceição Pereira e Tânia Fetchir. Apoio: Fundação para o Desenvolvimento da Educação - FDE CTP, Impressão e acabamento IBEP Gráca GESTÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO EDITORIAL 2014-2017 CONCEPÇÃO DO PROGRAMA E ELABORAÇÃO DOS CONTEÚDOS ORIGINAIS Ciências Humanas Coordenador de área: Paulo Miceli. Filosofia: Paulo Miceli, Luiza Christov, Adilton Luís FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Martins e Renê José Trentin Silveira. Presidente da Diretoria Executiva Antonio Rafael Namur Muscat COORDENAÇÃO DO DESENVOLVIME DESENVOLVIMENTO NTO DOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DOS CADERNOS DOS PROFESSORES E DOS CADERNOS DOS ALUNOS Vice-presidente da Diretoria Executiva Alberto Wunderler Ramos CONCEPÇÃO GESTÃO DE TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Guiomar Namo de Mello, Lino de Macedo, Luis Carlos de Menezes, Maria Inês Fini coordenadora  e Ruy Berger em memória. Direção da Área Guilherme Ary Plonski Coordenação Executiva do Projeto Angela Sprenger e Beatriz Scavazza Gestão Editorial Denise Blanes Equipe de Produção Editorial: Amarilis L. Maciel, Angélica dos Santos Angelo, Bóris Fatigati da Silva, Bruno Reis, Carina Carvalho, Carla Fernanda Nascimento, Carolina H. Mestriner, Carolina Pedro Soares, Cíntia Leitão, Eloiza Lopes, Érika Domingues do Nascimento, Flávia Medeiros, Gisele Manoel, Jean Xavier Xavier,, Karinna Alessandra Carvalho Taddeo, Leandro Calbente Câmara, Leslie Sandes, Mainã Greeb Vicente, Marina Murphy Murphy,, Michelangelo Russo, Natália S. Moreira, Olivia Frade Zambone, Paula Felix Palma, Priscila Risso, Regiane Monteiro Pimentel Barboza, Rodolfo Marinho, Stella Assumpção Mendes Mesquita, Tatiana F. Souza e Tiago Jonas de Almeida. Direitos autorais e iconografia:  Beatriz Fonseca Micsik, Érica Marques, José Carlos Augusto, Juliana Prado da Silva, Marcus Ecclissi, Maria Aparecida Acunzo Forli, Maria Magalhães de Alencastro e Vanessa Leite Rios. Edição e Produção editorial : Jairo Souza Design Gráco e Occy Design projeto gráco. Ghisleine Trigo Silveira Geografia: Angela Corrêa da Silva, Jaime Tadeu Oliva, Raul Borges Guimarães, Regina Araujo e Sérgio Adas. História: Paulo Miceli, Diego López Silva, Glaydson José da Silva, Mônica Lungov Bugelli e Raquel dos Santos Funari. Sociologia : Heloisa Helena Teixeira de Souza Martins, AUTORES Marcelo Santos Masset Lacombe, Melissa de Mattos Pimenta e Stella Christina Schrijnemaekers. Linguagens Coordenador de área: Alice Vieira. Arte: Gisa Picosque, Mirian Celeste Martins, Ciências da Natureza Coordenador de área: Luis Carlos de Menezes. Biologia: Ghisleine Trigo Silveira, Fabíola Bovo Geraldo de Oliveira Suzigan, Jéssica Mami Makino e Sayonara Pereira. Educação Física : Adalberto dos Santos Souza, Carla de Meira Leite, Jocimar Daolio, Luciana Venâncio, Luiz Sanches Neto, Mauro Betti, Renata Elsa Stark e Sérgio Roberto Silveira. LEM – Inglês : Adriana Ranelli Weigel Borges, Alzira da Silva Shimoura, Lívia de Araújo Donnini Rodrigues, Priscila Mayumi Hayama e Sueli Salles Fidalgo. LEM – Espanhol: Ana Maria López Ramírez, Isabel Gretel María Eres Fernández, Ivan Rodrigues Martin, Margareth dos Santos e Neide T. Maia González. Língua Portuguesa: Alice Vieira, Débora Mallet Pezarim de Angelo, Eliane Aparecida de Aguiar, José Luís Marques López Landeira e João Henrique Nogueira Mateos. Matemática Coordenador de área: Nílson José Machado. Matemática: Nílson José Machado, Carlos Eduardo de Souza Campos Granja, José Luiz Pastore Mello, Roberto Perides Moisés, Rogério Ferreira da Fonseca, Ruy César Pietropaolo e Walter Spinelli. Mendonça, Felipe Bandoni de Oliveira, Lucilene Aparecida Esperante Limp, Maria Augusta Querubim Rodrigues Pereira, Olga Aguilar Santana, Paulo Roberto da Cunha, Rodrigo Venturoso Mendes da Silveira e Solange Soares de Camargo. Ciências : Ghisleine Trigo Silveira, Cristina Leite, João Carlos Miguel Tomaz Micheletti Neto, Julio Cézar Foschini Lisbôa, Lucilene Aparecida Esperante Limp, Maíra Batistoni e Silva, Maria Augusta Querubim Rodrigues Pereira, Paulo Rogério Miranda Correia, Renata Alves Ribeiro, Ricardo Rechi Aguiar, Rosana dos Santos Jordão, Simone Jaconetti Ydi e Yassuko Hosoume. Física: Luis Carlos de Menezes, Estevam Rouxinol, Guilherme Brockington, Ivã Gurgel, Luís Paulo de Carvalho Piassi, Marcelo de Carvalho Bonetti, Maurício Pietrocola Pinto de Oliveira, Maxwell Roger da Puricação Siqueira, Sonia Salem e Yassuko Hosoume. Química: Maria Eunice Ribeiro Marcondes, Denilse Morais Zambom, Fabio Luiz de Souza, Hebe Ribeiro da Cruz Peixoto, Isis Valença de Sousa Santos, Luciane Hiromi Akahoshi, Maria Fernanda Penteado Lamas e Yvone Mussa Esperidião. Caderno do Gestor Lino de Macedo, Maria Eliza Fini e Zuleika de Felice Murrie. A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo autoriza a reprodução do conteúdo do material de sua titularidade pelas demais secretarias de educação do país, desde que mantida a integridade da obra e dos créditos, ressaltando que direitos autorais protegidos*deverão ser diretamente negociados com seus próprios titulares, sob pena de infração aos artigos da Lei n 9.610/98. o * Constituem “direitos autorais protegidos” todas e quaisquer obras de terceiros reproduzidas no material da SEE-SP que não estejam em domínio público nos termos do artigo 41 da Lei de Direitos Autorais. * Nos Cadernos do Programa São Paulo faz escola são indicados sites para o aprofundamento de conhecimentos, como fonte de consulta dos conteúdos apresentados e como referências bibliográficas. Todos esses endereços eletrônicos foram checados. No entanto, como a internet é um meio dinâmico e sujeito a mudanças, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo não garante que os sites indicados permaneçam acessíveis ou inalterados. * Os mapas reproduzidos no material são de autoria de terceiros e mantêm as características dos originais, no que diz respeito à grafia adotada e à inclusão e composição dos elementos cartográficos (escala, legenda e rosa dos ventos). V   a l   i    d   a  d   e :  2   0  1  4  – 2   0  1  7 
View more...
   EMBED

Share

Preview only show first 6 pages with water mark for full document please download

Transcript

7 SÉRIE 8 ANO

ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS Caderno do Aluno Volume 1

a

o

ARTE
Linguagens

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

MATERIAL DE APOIO AO CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO CADERNO DO ALUNO

ARTE
ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS 7a SÉRIE/8o ANO VOLUME 1 Nova edição
2014 - 2017

São Paulo

Governo do Estado de São Paulo Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Voorwald Secretário-Adjunto João Cardoso Palma Filho Chefe de Gabinete Fernando Padula Novaes Subsecretária de Articulação Regional Rosania Morales Morroni Coordenadora da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores – EFAP Silvia Andrade da Cunha Galletta Coordenadora de Gestão da Educação Básica Maria Elizabete da Costa Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos Cleide Bauab Eid Bochixio Coordenadora de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional Ione Cristina Ribeiro de Assunção Coordenadora de Infraestrutura e Serviços Escolares Ana Leonor Sala Alonso Coordenadora de Orçamento e Finanças Claudia Chiaroni Afuso Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE Barjas Negri

Caro(a) aluno(a), O conhecimento produzido ao longo do tempo é o nosso maior tesouro, além de ser o melhor instrumento que podemos utilizar para compreender o mundo que nos cerca e interagir com ele. Para ajudá-lo a preservar, ampliar e aproveitar os benefícios desse conhecimento é que foi preparado este material. Por meio dele você terá contato com as diferentes linguagens: oral, escrita, imagética, sonora e corporal. Elas vão ajudá-lo a expressar-se com a competência necessária para que cada vez mais você conheça a si mesmo, a sua cultura e o mundo em que vive. Neste primeiro volume do Caderno do Aluno, você estudará o suporte nas linguagens artísticas (artes visuais, dança, música e teatro), provocando um olhar para a materialidade na Arte. Também conhecerá a ruptura do suporte na tradição das linguagens artísticas, onde poderá aproximar-se das propostas de artistas contemporâneos, observando a materialidade de suas criações e seus modos de fazer arte. É uma ótima oportunidade de ampliar seu repertório! Bons estudos!

Equipe Curricular de Arte
Área de Linguagens Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

TEMA:

O SUPORTE NA MATERIALIDADE DA ARTE

O QUE PENSO SOBRE ARTE? Perguntas para você conversar sobre o suporte:

O que você já usou para fazer arte?

O que os artistas usam para fazer arte?

O corpo pode ser usado para fazer arte? Justifique sua resposta.

5

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Responda à próxima pergunta resumindo o que você e sua classe conversaram sobre o suporte:

O que nós pensamos sobre o suporte na arte?

!

APRECIAÇÃO
Converse com seus colegas sobre as imagens a seguir:
© Inae Coutinho

Barbatuques, grupo brasileiro de percussão corporal.

6

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Michel Groisman. Transferência, 1999. Performance.
© Lucas Vallecillos/age fotostock/Easypix

Cena de teatro nô.

7

© Marise Farias

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

© Bob Rowan/Progressive Image/Corbis/Latinstock

Mímico na “caixa invisível”.

8

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Grupo étnico Kuikuro. Quarup – Ritual de homenagem aos mortos.

O que está presente em todas as imagens? Nessas produções artísticas, o que é usado como suporte para fazer arte?

O que ficou da conversa?

9

© Pedro Biondi/ABr

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 MÚSICA

AÇÃO EXPRESSIVA
Você sabia que é possível produzir sons com o nosso corpo? Usando apenas o nosso corpo, podemos fazer sons, melodias, ritmos e criar arte. Ele é gratuito, portátil, bonito e versátil. O que você acha de usar o corpo dessa forma?

Você vai fazer agora uma experimentação sonora com o corpo. Depois, escreva sobre essa experimentação.

Podemos produzir com o corpo sons mais agudos (estalos de dedos) e mais graves (batidas no peito). Quais sons você consegue produzir com o seu corpo? Atenção, use seu corpo sem usar a voz, certo? Tente, por exemplo, esfregar um braço no outro ou nas pernas e ouça o som produzido. Experimente, crie sons diferentes. Agudos Estalar os dedos Bater os dentes Bater em uma das palmas com dois dedos Médios Bater palmas Bater na bochecha esticada Bater palmas com as mãos atravessadas Graves Bater no peito Estalar a língua com a boca em formato de “o” Bater palmas com as mãos em formato de concha

Agora que você já pesquisou os sons de seu corpo, vamos fazê-lo cantar. Pense em um refrão de qualquer música que você conheça, pode ser até aquele grito de torcida de futebol. Você consegue cantá-lo só com palmas?
10

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

O QUE PENSO SOBRE ARTE?

Quais instrumentos musicais você conhece?

Quais instrumentos musicais você já experimentou?

Os instrumentos musicais transformam-se no decorrer do tempo? Dê exemplos.

Nas páginas 12 e 13 há um espaço para colar imagens de instrumentos musicais. Na colagem, você pode juntar os instrumentos e classificá-los.
11

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

12

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

13

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

!

APRECIAÇÃO

Jogo 1 – Qual é o instrumento?
Neste jogo, você vai descobrir qual é o som dos instrumentos mostrados na primeira coluna do quadro. Pode ser que você não conheça a sonoridade de todos eles, mas no jogo você vai conhecê-la.
© G4 Editora

Imagem do instrumento

Nome do instrumento Contrabaixo elétrico

Número da faixa musical

Flauta transversal

Violão

Bateria

Saxofone tenor

Saxofone alto

Saxofone soprano

Guitarra elétrica

Flauta doce soprano

14

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Jogo 2 – Acústico ou sampler?
Neste jogo, o desafio é saber se as músicas ouvidas foram produzidas com instrumentos acústicos ou instrumentos eletrônicos (samplers). Na categoria acústicos, entram instrumentos como o piano, o atabaque, o xilofone e a harpa, entre outros. Na categoria eletrônicos, entram instrumentos como os órgãos eletrônicos, os sintetizadores e os violinos elétricos, entre outros. Inicialmente, escute com atenção as gravações das mesmas músicas executadas nas duas versões: acústica ou sampler, assinalando-as no quadro abaixo. Discuta com os colegas como chegou a essa conclusão. Quais foram as diferenças que você pôde perceber? Instrumento Eletrônico Acústico (sampler)

Música

Versão CD The Best of Johann Sebastian Bach, CD 2, faixa 2 CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 10 CD Music from Prince Igor/ Firebird, faixa 1 CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 11 CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 13 CD Satie: piano works, faixa 26 CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 12 CD The best of Naxos, v. 1, faixa 11

Tocata e fuga em ré menor, Johann Sebastian Bach

Dança do pássaro de fogo, Igor Stravinsky

Gymnopédie no 1, Erik Satie O lago dos cisnes, Piotr Ilitch Tchaikovsky

Música / Versão Fato consumado, Djavan CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 14 Ave-Maria, Charles Gounod CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 15 Ave-Maria, Franz Peter Schubert CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 16 Missa Papae Marcelli, Giovanni Pierluigi da Palestrina CD Educação em Arte: música, v. 1, faixa 17
15

Instrumento Eletrônico Acústico (sampler)

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2 DANÇA

!

APRECIAÇÃO

Converse com seus colegas sobre as imagens a seguir:
© Claudio Etges

Terpsí Teatro de Dança. E la nave no va II, 2003. Coreografia: Carlota Albuquerque.

16

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

17

© Claudio Etges

© Claudio Etges

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

O que chama a sua atenção no corpo dos dançarinos? Quando a dançarina se joga para trás e o dançarino a ampara, qual parte do corpo do dançarino e da dançarina dá suporte ao movimento? Quando o dançarino dá um abraço na dançarina e gira com ela no ar, o movimento de qual deles nos dá a sensação de força? E de suavidade? Quando a dançarina parece estar prestes a se ajoelhar, o que acontece com seu corpo para que ela não caia no chão? Como você percebe o corpo dos dançarinos?

O que ficou da conversa?

AÇÃO EXPRESSIVA

Diálogo do corpo com objetos – Improvisação
Você vai fazer uma experiência de percepção do corpo como suporte físico na dança. Depois do jogo, registre, na página ao lado, por meio de desenho e de cores, as sensações que você sentiu no corpo.
18

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

19

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3 ARTES VISUAIS

AÇÃO EXPRESSIVA
Quais escadas você já subiu e desceu? Escadas retas, curvas, em espiral? Degraus largos, estreitos, inseguros, de pedra, de cimento, de madeira, de cerâmica, de terra? Deixe que a memória traga muitas escadas à sua mente... Agora que você lembrou, vamos imaginar uma escada? Uma escada especial. Daquelas que causam medo, ou são perigosas, ou são esconderijos, ou estão envoltas em um clima de festa, ou qualquer outra emoção que a sua escada possa dar... Imaginou? Agora faça seu desenho!

20

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

!

APRECIAÇÃO

Observe as imagens a seguir, todas de obras da artista Regina Silveira:

Ao olhar as escadas, que sensação elas provocam? Essas escadas são reais? Como você imagina que foram feitas? Que materiais foram utilizados para construí-las? Qual o suporte dessas obras?

© Regina Silveira

Regina Silveira. Projectio 2, 1984. Instalação. Látex sobre painéis de madeira, 400 × 900 cm. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, São Paulo (SP).

21

© Regina Silveira

© Regina Silveira

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

© Galeria Brito Cimino/Museu de Arte de Miami, Flórida, EUA

Regina Silveira. Escada inexplicável II, 1999. Instalação. Recorte e pintura sobre poliestireno, 300 × 580 × 200 cm. Museu de Arte de Miami, Flórida, EUA.

22

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Regina Silveira. Descendo a escada, 2002. Instalação multimídia. Instituto Itaú Cultural, São Paulo (SP).

23

© Cristiane Beneton

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Agora observe outras duas imagens, de outros artistas contemporâneos:

Em comparação com as obras de Regina Silveira, o que podemos ver como suporte nas obras de Leda Catunda e do grupo SCIArts? Podemos dizer que os suportes dessas obras são convencionais ou não convencionais? Por quê?

© Edu Brandão

Leda Catunda. Onça-pintada no 1, 1984. Acrílica sobre cobertor, 192,5 × 157,5 cm.

24

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

SCIArts – Equipe Interdisciplinar e Edson Zampronha. Atrator poético, 2005. Instalação multimídia interativa. Instituto Itaú Cultural, São Paulo (SP).

O que ficou da conversa?

25

© SCIArts e Edson Zampronha

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

AÇÃO EXPRESSIVA
Assim como um artista, você receberá uma encomenda de seu professor. O que será?

26

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

27

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 TEATRO

!

APRECIAÇÃO

Observe pequenos momentos de cena. O primeiro foi registrado pelo artista holandês Gerard Valck (1651-1726). Os outros três foram registrados pelo olhar de fotógrafos.

Observe a gestualidade das mãos dos atores e das atrizes. O que os gestos podem nos dizer? Podemos dizer que o corpo do ator é o suporte físico da criação teatral? Há diferença entre o gesto que o corpo criador faz no teatro e o gesto que é feito pelo corpo no cotidiano?

© Album/Akg-Images/Latinstock

Arlequim, personagem da commedia dell’arte italiana. (Gerard Valck. Arlequim, c. 1680. Gravura em metal.)

© Hugo Rodrigues/arte-factos.net

Inês Vaz e Diogo Bento. Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett, 2012.

28

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Personagem do teatro kabuki.
© Rodney Suguita/Folhapress

Denise Stoklos. Mais pesado que o ar/ Santos Dumont, 1996.

29

© Richard Fukuhara/Corbis/Latinstock

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

O que ficou da conversa?

AÇÃO EXPRESSIVA
Você vai participar de dois jogos teatrais. Depois, vai assistir a seus amigos jogando. Como plateia, anote suas observações no espaço a seguir. O que eu vejo no jogo teatral como plateia? O que estou comendo? Cheirando? Ouvindo? Pegando? Olhando?

O que estou empurrando?

30

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Pesquisa sensorial do paladar, do olfato, da audição e do tato
Em casa, faça as experiências a seguir:

quando você estiver comendo, feche os olhos e se concentre no sabor e no aroma da comida; quando você estiver em seu quarto, feche os olhos e se concentre nos ruídos e silêncios da casa e lá de fora; quando você estiver lavando o rosto, feche os olhos e se concentre no tato com a pele.

Após cada uma dessas experiências, registre o que você percebeu, o que sentiu e o que mudou quando você realizou essas ações de olhos fechados.

31

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5 CONEXÕES COM O TERRITÓRIO DAS LINGUAGENS ARTÍSTICAS

AÇÃO EXPRESSIVA
Revendo todas as imagens presentes, até o momento, e as produções que você fez, invente uma chamada de primeira página de jornal contendo: um título, uma ilustração e um pequeno texto (com o propósito de chamar a atenção do leitor para a continuidade da notícia em outra página). O tema da notícia é: “As linguagens da arte que os jovens conhecem”.

VOCÊ APRENDEU? O que é usado como suporte para fazer arte? Você pode inventar um mapa para viajar no território das linguagens artísticas.

32

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

APRENDENDO A APRENDER
Se você andar pelo shopping, pelo mercado ou por uma rua de comércio, o que pode encontrar para utilizar como suporte inusitado em alguma produção artística, como artes visuais, dança, música ou teatro?

33

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

TEMA:

A RUPTURA DO SUPORTE NAS LINGUAGENS ARTÍSTICAS
!

APRECIAÇÃO
Observe as duas imagens apresentadas nas próximas páginas e converse sobre elas com seus colegas.

O que são essas obras? São simplesmente uma TV e uma bicicleta? São um vídeo projetado na TV e uma imagem projetada na parede? O que há de semelhante e de diferente nas duas obras? Podemos definir a linguagem artística de cada uma? Comente. A interação com a obra é necessária para que ela exista? Justifique. Como cada obra foi realizada? Que aparatos tecnológicos foram necessários? Com que linguagens da arte se relacionam?

O que ficou da conversa?

34

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Otávio Donasci. PlasmaCriatura (dançando com uma mulher), 2004. Performance. Videocriatura com rosto e parte do corpo de monitor de plasma de 42 polegadas. Em um estúdio, ligado à criatura por um cabo, um ator interpreta ao vivo o pedaço do corpo que aparece no plasma e tudo é operacionalizado por um programa de edição em um computador. Há troca de performer masculino por feminino, e a definição de imagem do plasma possibilita uma interação mais forte. Microcâmera e monitores internos na videocriatura permitem a visualização do público pelo performer.

35

© Otávio Donasci

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

© Romulo Fialdini

Guto Lacaz. Ciclo-cine, 1995. Instalação. Bicicleta, dínamo, luz vermelha e projetor.

36

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 6 MÚSICA

!

APRECIAÇÃO

Ruídos que se transformam em música
Você conhece a música Sinfonia dos brinquedos? Na sala de informática, em grupo, você poderá fazer uma escuta atenta dessa música, após uma pesquisa na internet.

Ao ouvir, você consegue dizer quais são os instrumentos musicais que estão sendo utilizados? Desses instrumentos, quais são os sons produzidos por instrumentos musicais convencionais? Quais são os ruídos? Quando eles aparecem?

O que ficou da conversa?

37

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Outro exemplo de música que trabalha com experimentação é a peça Helicopter string quartet (1992-1993), para quarteto de cordas, quatro helicópteros com pilotos e quatro técnicos de som, quatro transmissores de TV, transmissores de som, auditório com quatro colunas com televisão e quatro colunas de alto-falantes, projecionista de som com console para mixagem, do compositor alemão Karlheinz Stockhausen. Já na leitura do título é possível perceber que essa música não tem nada de convencional.

Quais seriam os instrumentos mais conhecidos apontados no título? Quais seriam os instrumentos não convencionais?

Você pode conferir o processo de composição, as fotos da execução, o mapa de som, a partitura e um trecho de 5 minutos da peça (o total tem aproximadamente 32 minutos) no site (em inglês) <http://www.stockhausen.org/helicopter_intro.html> (acesso em: 28 ago. 2013). Se não for possível acessar o site, aguarde as orientações de seu professor.

O que você sentiu ouvindo essa música? O que achou da ideia do compositor? O que você faria diferente? Escreva suas respostas no espaço a seguir:

38

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

O QUE PENSO SOBRE ARTE?

Para você, o que é o ruído?

Lembrando que som pode ser um tom ou um ruído, qual é o primeiro som que você ouve quando acorda?

Investigue com os colegas e o professor quais foram as respostas para a pergunta anterior. Agora, vamos organizá-las. Definimos alguns critérios de organização, mas você pode escolher os seus: Sons vocais Sons de natureza Sons de máquina

39

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Qual foi a coluna que ficou mais completa? Alguém mencionou o silêncio?

O que esse levantamento diz sobre o ambiente sonoro de sua casa e sobre você mesmo?

Para você, é possível a criação de composição musical com os ruídos do ambiente? Como seria?

40

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

AÇÃO EXPRESSIVA

Sua própria música com ruídos
Assim como as músicas Sinfonia dos brinquedos e Helicopter string quartet apresentaram ruídos na sua composição, o que você acha de fazer sua própria composição? Em grupo de no máximo quatro colegas, escolham alguns dos ruídos levantados na proposição anterior e mãos à obra! O espaço a seguir é para você registrar seu processo de criação.

De onde veio a ideia?

A composição é uma imitação do ambiente sonoro, uma música instrumental?

Quais critérios foram utilizados para a escolha do(s) ruído(s)?

41

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Para realizar a pesquisa em grupo, escolham uma emissora de rádio para fazer a escuta da programação: ela pode ser AM ou FM (mas cuidado para que não haja repetição de emissoras). Na escuta, vocês devem anotar e, se possível, gravar:

a identificação da estação selecionada, com o seu nome e a posição no dial do rádio.

a descrição do tipo de música e do conteúdo da programação: música instrumental, popular, erudita, brasileira, mix...; os gêneros, com exemplos de artistas e gravação de trechos de músicas; programas jornalísticos, religiosos, de informação sobre o trânsito etc.

a caracterização dos locutores: voz masculina ou feminina, grave ou aguda; linguagem formal ou informal, jornalística ou casual; o uso de gírias.

as propagandas veiculadas na programação, gravando exemplos de jingles.

42

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

No espaço a seguir, registre o texto coletivo que você e seu grupo produziram com base na discussão do material coletado.

O som dos DJs
Aguarde seu professor para receber detalhes de como vai ser esta pesquisa.

43

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 7 DANÇA

!

APRECIAÇÃO
Para conversar em grupo, observe a expressão do movimento dos corpos nas imagens da roda de capoeira e do breakdance apresentadas a partir da próxima página.

Para você, essas duas manifestações podem ser consideradas linguagens da dança? Comente. Como são os movimentos na capoeira e como é a música que os acompanha? Como você descreve os movimentos do breakdance e a música que os acompanha? Quais elementos são semelhantes e diferentes nas duas manifestações? Quem entre os alunos é praticante da cultura rap ou da capoeira?

O que ficou da conversa?

44

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Roda de capoeira.
© Michelle Kwajafa/Morguefile

Breakdance. Apresentação de um b-boy.

45

© Elza Fiúza/ABr

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Agora, observe outras imagens:

© Ingram Publishing/Thinkstock/Getty Images

Dança clássica.

46

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Dança moderna.

47

© Image Source/Getty Images

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Dança contemporânea. (Companhia TeatroDança Ivaldo Bertazzo. Mar de gente, 2007.)

48

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

49

© Priscila Prade

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Observe o corpo dos dançarinos. O que há de diferente e de semelhante no corpo que dança a dança clássica, a moderna e a contemporânea? Como você imagina que os dançarinos preparam o corpo? Será que existe alguma relação entre procedimentos e métodos corporais, formas de criação em dança e a preparação do corpo do dançarino? Para quem pratica a capoeira e o breakdance, será que há técnicas corporais e preparação do corpo? Comente.

O que ficou da conversa?

50

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

VOCÊ APRENDEU? A matéria da dança é o corpo. Pense sobre o que foi conversado, o que foi observado nas imagens e o que seu professor ofereceu de informação. Escreva palavras-chave para dizer o que você pensa sobre o corpo que dança.

AÇÃO EXPRESSIVA
Depois de ver tantos corpos em movimento, aguarde uma encomenda de seu professor. Após cumpri-la, registre no espaço a seguir qual a sensação que essa experiência proporcionou.

51

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 8 ARTES VISUAIS

!

APRECIAÇÃO
Nas duas imagens apresentadas a seguir, vemos duas obras importantes. Uma está reproduzida em um desenho e a outra foi fotografada. Converse com seus colegas sobre elas.

Você conhece essas obras? O que se pode ler delas com relação à moldura e à base? E quanto à relação entre o tamanho da figura humana e a dimensão das obras? Por que a pintura e a escultura são as modalidades mais conhecidas?

O que ficou da conversa?

52

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Guilherme Nakashato. Desenho relembrando sua visita quando criança ao Museu Paulista, acompanhado do texto: “O grito da Independência, de Pedro Américo. O primeiro quadro que vi com meus próprios olhos. Enorme! Aquele era o quadro que cabia no meu livro de Estudos Sociais?!”.
© Geff Reis

Victor Brecheret. Monumento às bandeiras, 1953. Escultura. Granito, 43,8 × 11,0 × 8,4 m. Parque Ibirapuera, São Paulo (SP).

53

© Guilherme Nakashato

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

E o que lê nas obras contemporâneas a seguir? Quais modalidades são essas? Instalação, performance, objeto? O que você sabe sobre as modalidades das artes visuais?

Guto Lacaz. Auditório para questões delicadas, 1989. Projeto de instalação para o Parque Ibirapuera, São Paulo (SP).

© Guto Lacaz

54

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Guto Lacaz . Auditório para questões delicadas , 1989. Cadeiras, estrutura em alumínio e arame, flutuadores de poliuretano, 10,7 × 10,7 × 0,8 m. Parque Ibirapuera, São Paulo (SP).

55

© Romulo Fialdini

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

© Elida Tessler

Elida Tessler. Você me dá sua palavra?, 2004. Instalação (work in progress, ou seja, trabalho em progresso). Corda para varal, pregadores e caneta esferográfica.

56

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Michel Groisman. Transferência, 1999. Performance.

57

© Marise Farias

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

O que ficou da conversa?

AÇÃO EXPRESSIVA
Você vai receber uma encomenda de seu professor. Depois de fazê-la e de conversar sobre ela, registre suas observações.

VOCÊ APRENDEU? O que a experiência vivida na Ação expressiva mudou o seu modo de perceber o suporte nas artes visuais?

58

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 9 TEATRO

!

APRECIAÇÃO
As imagens apresentadas a partir da próxima página mostram o artista plástico Guto Lacaz e seu assistente, Francisco Javier, em um palco de teatro. Vamos lançar os olhos sobre elas e conversar em grupo.

Como você imagina que Guto Lacaz e seu assistente mexem nessas máquinas? Será que, pela maneira como eles mexem nessas máquinas, elas mudam de função? Essas máquinas foram pensadas e produzidas pelo artista para a realização de uma ação, mas para que tipo de ação? Em que a leitura do programa do espetáculo Máquinas II ajuda você a perceber o que Guto Lacaz e Francisco Javier realizam na performance? Do que foi conversado, o que você imagina que seja uma performance? Qual a diferença entre a ação do artista em uma performance e a ação do ator em uma forma de apresentação teatral que você conhece?

O que ficou da conversa?

59

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

© Romulo Fialdini

Máquinas II
Espetáculo de Guto Lacaz Máquinas II é o resultado de 50 anos de pesquisas acidentais e testes de laboratório. Dentre milhares de produtos avaliados em nosso Instituto, foram selecionados 85, considerados síntese cultural e tecnológica do mundo contemporâneo. Descobrindo o lado secreto destes objetos, conseguimos estabelecer curiosas e surpreendentes relações entre eles. O resultado deste trabalho é apresentado em 25 performances, onde Guto Lacaz e seu assistente Francisco Javier Judas y Manubens apresentam experimentos ricos em plasticidade, precisão e surpresa, que transformarão sua vida – para melhor. Máquinas II conta ainda com a participação de ac Jorge Farah na romântica performance Isabelle e de mais 3 convidados em cenas especiais.

Guto Lacaz. Máquinas II, 2009. Performance. Teatro Aliança Francesa, São Paulo (SP).

60

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Ficha técnica
criação, direção e apresentação assistente de direção direção de produção/adm. partner convidado especial cantora Eurídice pianista trilha sonora iluminação fotograas assistente de palco realização Guto Lacaz Cristina Mutarelli Henrique Lanfranchi Francisco Javier Judas y Manubens ac Jorge Farah Natália Barros surpresa Paulo Braga Carlos Careqa André Boll omulo Fialdini Gyorgy Forrai Arte Moderna Agradecimentos Cynthia Vasconcelos

61

© Romulo Fialdini

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

VOCÊ APRENDEU? Registre a seguir, por palavras ou desenho, três verbos que expressam os significados construídos por você nessa conversa sobre performance.

Você vai fazer uma pesquisa em grupo para saber mais sobre performance e happening. Aguarde seu professor dizer o que seu grupo vai pesquisar e, depois, apresentar. Registre a seguir quais são seus colegas de grupo, qual será o objetivo da pesquisa e como vocês apresentarão os resultados que encontrarem.

62

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

!

APRECIAÇÃO
Converse com seus colegas a respeito das imagens a seguir:

Cia. Videocriaturas. Cabaret videocriaturas, 2003. Criação e direção: Otávio Donasci. Performance. Espetáculo em ambiente com mesinhas e luz baixa, como um cabaré. Em um palco pequeno, são apresentados vários números com videocriaturas diferentes em estilos vaudeville e circense, que invadem a plateia em alguns momentos. Com os números (interativos na maioria das vezes), demonstra-se uma nova modalidade: o videoteatro, no qual dois ou mais atores se fundem em uma videocriatura, criando um ser híbrido.

63

© Otávio Donasci

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

© Otávio Donasci

Otávio Donasci. Videocópterus, 1994. Projeto para o 10o Festival Internacional de Arte Eletrônica Videobrasil, Sesc SP, São Paulo (SP).

64

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Otávio Donasci. PlasmaCriatura (dançando), 2004. Performance.

65

© Otávio Donasci

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Essas imagens mostram a criação do artista Otávio Donasci.

O que chama a sua atenção nas imagens? O que provoca estranhamento? Como você imagina que seja a criação dessa mistura de homem com máquina, de homem com vídeo? Quando olhamos as imagens das performances, o que há de semelhante e de diferente entre a performance com o aspirador de pó de Máquinas II, de Guto Lacaz, e o projeto Videocópterus, de Otávio Donasci? O que ficou da conversa?

VOCÊ APRENDEU? O que mudou em seu modo de pensar teatro diante dessas videocriaturas que misturam vídeo, teatro e performance?

66

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

AÇÃO EXPRESSIVA
Três ações: PARAR. SENTAR. OLHAR. Aguarde a encomenda de seu professor para saber o que fazer com essas ações. Registre aqui suas impressões sobre o que aconteceu durante a realização da encomenda.

67

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

?

!

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 10 CONEXÕES COM O TERRITÓRIO DE PROCESSO DE CRIAÇÃO

Agora que você já olhou para todas as imagens presentes neste Caderno e para as suas próprias produções, a proposta é criar um mapa do território de processo de criação, traçando ilhas, mares, trilhas, lugares etc., com ações que você imagina que fazem parte de um processo de criação em arte.

VOCÊ APRENDEU? Lembrando o que você estudou, as imagens que observou, as informações do professor e as conversas durante as aulas, escreva dez coisas que podem ser usadas como suporte para fazer arte. 1 2 3 4 5
68

6 7 8 9 10

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1
?

!

NUTRIÇÃO ESTÉTICA
Temas: O suporte na materialidade da arte e A ruptura do suporte nas linguagens artísticas.

Depois de montar com seu professor e seus colegas o painel coletivo com imagens que mostram a ideia da ruptura do suporte, registre a seguir como você compreende a ruptura da tradição na arte e o que mais chamou a sua atenção no painel.

APRENDENDO A APRENDER
Olhe o corpo das pessoas. O que você vê? O corpo é suporte? O corpo é suporte da roupa-embalagem? O corpo é suporte para o grafite na pele com tatuagens? O corpo é suporte para os implantes de silicone? O corpo é suporte para um penteado? O corpo é suporte para os furos dos piercings? No mundo contemporâneo, o que pode o corpo-suporte?
69

Arte – 7a série/8o ano – Volume 1

Livros

BOGÉA, Inês. O livro da dança. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2002. (Coleção Profissões.) D’AMBROSIO, Oscar. Contando a arte de Estevão. São Paulo: Noovha América, 2007. MARCHAND, Pierre. A música dos instrumentos: das flautas de osso da Pré-história às guitarras elétricas. São Paulo: Melhoramentos, 1994. TURNER, Barrie Carson. O mundo do piano. São Paulo: Melhoramentos, 1997. (Série Ler e Ouvir.)

Sites

BARBATUQUES. Disponível em: <http://www.barbatuques.com.br/br/>. Acesso em: 29 maio 2013. DENISE STOKLOS. Disponível em: <http://denisestoklos.uol.com.br>. Acesso em: 29 maio 2013. ELIDA TESSLER. Disponível em: <http://sibila.com.br/arte-risco/voce-me-da-a-suapalavra/3175>. Acesso em: 29 maio 2013. ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL DE ARTE E CULTURA BRASILEIRAS. Disponível em: <http://novo.itaucultural.org.br/conheca/enciclopedia/>. Acesso em: 26 jun. 2013. GUTO LACAZ. Disponível em: <http://www.gutolacaz.com.br>. Acesso em: 29 maio 2013. REGINA SILVEIRA. Disponível em: <http://www.reginasilveira.com/>. Acesso em: 29 maio 2013. TERPSÍ TEATRO DE DANÇA. Disponível em: <http://terpsiteatrodedanca.wordpress. com/>. Acesso em: 2 jul. 2013. VICTOR BRECHERET. Disponível em: <http://www.victor.brecheret.nom.br>. Acesso em: 29 maio 2013.

70

CONCEPÇÃO E COORDENAÇÃO GERAL NOVA EDIÇÃO 2014-2017 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA – CGEB Coordenadora Maria Elizabete da Costa Diretor do Departamento de Desenvolvimento Curricular de Gestão da Educação Básica João Freitas da Silva Diretora do Centro de Ensino Fundamental dos Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional – CEFAF Valéria Tarantello de Georgel Coordenadora Geral do Programa São Paulo faz escola Valéria Tarantello de Georgel Coordenação Técnica Roberto Canossa Roberto Liberato Suely Cristina de Albuquerque Bomm EQUIPES CURRICULARES Área de Linguagens Arte: Ana Cristina dos Santos Siqueira, Carlos Eduardo Povinha, Kátia Lucila Bueno e Roseli Ventrela. Educação Física: Marcelo Ortega Amorim, Maria Elisa Kobs Zacarias, Mirna Leia Violin Brandt, Rosângela Aparecida de Paiva e Sergio Roberto Silveira. Língua Estrangeira Moderna (Inglês e Espanhol): Ana Paula de Oliveira Lopes, Jucimeire de Souza Bispo, Marina Tsunokawa Shimabukuro, Neide Ferreira Gaspar e Sílvia Cristina Gomes Nogueira. Língua Portuguesa e Literatura: Angela Maria Baltieri Souza, Claricia Akemi Eguti, Idê Moraes dos Santos, João Mário Santana, Kátia Regina Pessoa, Mara Lúcia David, Marcos Rodrigues Ferreira, Roseli Cordeiro Cardoso e Rozeli Frasca Bueno Alves. Área de Matemática Matemática: Carlos Tadeu da Graça Barros, Ivan Castilho, João dos Santos, Otavio Yoshio Yamanaka, Rodrigo Soares de Sá, Rosana Jorge Monteiro, Sandra Maira Zen Zacarias e Vanderley Aparecido Cornatione. Área de Ciências da Natureza Biologia: Aparecida Kida Sanches, Elizabeth Reymi Rodrigues, Juliana Pavani de Paula Bueno e Rodrigo Ponce. Ciências: Eleuza Vania Maria Lagos Guazzelli, Gisele Nanini Mathias, Herbert Gomes da Silva e Maria da Graça de Jesus Mendes. Física: Carolina dos Santos Batista, Fábio Bresighello Beig, Renata Cristina de Andrade Oliveira e Tatiana Souza da Luz Stroeymeyte.

Química: Ana Joaquina Simões S. de Matos Carvalho, Jeronimo da Silva Barbosa Filho, João Batista Santos Junior e Natalina de Fátima Mateus. Área de Ciências Humanas Filosofia: Emerson Costa, Tânia Gonçalves e Teônia de Abreu Ferreira. Geografia: Andréia Cristina Barroso Cardoso, Débora Regina Aversan e Sérgio Luiz Damiati. História: Cynthia Moreira Marcucci, Maria Margarete dos Santos e Walter Nicolas Otheguy Fernandez. Sociologia: Alan Vitor Corrêa, Carlos Fernando de Almeida e Tony Shigueki Nakatani. PROFESSORES COORDENADORES DO NÚCLEO PEDAGÓGICO Área de Linguagens Educação Física: Ana Lucia Steidle, Eliana Cristine Budisk de Lima, Fabiana Oliveira da Silva, Isabel Cristina Albergoni, Karina Xavier, Katia Mendes e Silva, Liliane Renata Tank Gullo, Marcia Magali Rodrigues dos Santos, Mônica Antonia Cucatto da Silva, Patrícia Pinto Santiago, Regina Maria Lopes, Sandra Pereira Mendes, Sebastiana Gonçalves Ferreira Viscardi, Silvana Alves Muniz. Língua Estrangeira Moderna (Inglês): Célia Regina Teixeira da Costa, Cleide Antunes Silva, Ednéa Boso, Edney Couto de Souza, Elana Simone Schiavo Caramano, Eliane Graciela dos Santos Santana, Elisabeth Pacheco Lomba Kozokoski, Fabiola Maciel Saldão, Isabel Cristina dos Santos Dias, Juliana Munhoz dos Santos, Kátia Vitorian Gellers, Lídia Maria Batista Bomm, Lindomar Alves de Oliveira, Lúcia Aparecida Arantes, Mauro Celso de Souza, Neusa A. Abrunhosa Tápias, Patrícia Helena Passos, Renata Motta Chicoli Belchior, Renato José de Souza, Sandra Regina Teixeira Batista de Campos e Silmara Santade Masiero. Língua Portuguesa: Andrea Righeto, Edilene Bachega R. Viveiros, Eliane Cristina Gonçalves Ramos, Graciana B. Ignacio Cunha, Letícia M. de Barros L. Viviani, Luciana de Paula Diniz, Márcia Regina Xavier Gardenal, Maria Cristina Cunha Riondet Costa, Maria José de Miranda Nascimento, Maria Márcia Zamprônio Pedroso, Patrícia Fernanda Morande Roveri, Ronaldo Cesar Alexandre Formici, Selma Rodrigues e Sílvia Regina Peres. Área de Matemática Matemática: Carlos Alexandre Emídio, Clóvis Antonio de Lima, Delizabeth Evanir Malavazzi, Edinei Pereira de Sousa, Eduardo Granado Garcia, Evaristo Glória, Everaldo José Machado de Lima, Fabio Augusto Trevisan, Inês Chiarelli Dias, Ivan Castilho, José Maria Sales Júnior, Luciana Moraes Funada, Luciana Vanessa de Almeida Buranello, Mário José Pagotto, Paula Pereira Guanais, Regina Helena de Oliveira Rodrigues, Robson Rossi, Rodrigo Soares de Sá, Rosana Jorge Monteiro,

Rosângela Teodoro Gonçalves, Roseli Soares Jacomini, Silvia Ignês Peruquetti Bortolatto e Zilda Meira de Aguiar Gomes. Área de Ciências da Natureza Biologia: Aureli Martins Sartori de Toledo, Evandro Rodrigues Vargas Silvério, Fernanda Rezende Pedroza, Regiani Braguim Chioderoli e Rosimara Santana da Silva Alves. Ciências: Davi Andrade Pacheco, Franklin Julio de Melo, Liamara P. Rocha da Silva, Marceline de Lima, Paulo Garcez Fernandes, Paulo Roberto Orlandi Valdastri, Rosimeire da Cunha e Wilson Luís Prati. Física: Ana Claudia Cossini Martins, Ana Paula Vieira Costa, André Henrique Ghel Runo, Cristiane Gislene Bezerra, Fabiana Hernandes M. Garcia, Leandro dos Reis Marques, Marcio Bortoletto Fessel, Marta Ferreira Mafra, Rafael Plana Simões e Rui Buosi. Química: Armenak Bolean, Cátia Lunardi, Cirila Tacconi, Daniel B. Nascimento, Elizandra C. S. Lopes, Gerson N. Silva, Idma A. C. Ferreira, Laura C. A. Xavier, Marcos Antônio Gimenes, Massuko S. Warigoda, Roza K. Morikawa, Sílvia H. M. Fernandes, Valdir P. Berti e Willian G. Jesus. Área de Ciências Humanas Filosofia: Álex Roberto Genelhu Soares, Anderson Gomes de Paiva, Anderson Luiz Pereira, Claudio Nitsch Medeiros e José Aparecido Vidal. Geografia: Ana Helena Veneziani Vitor, Célio Batista da Silva, Edison Luiz Barbosa de Souza, Edivaldo Bezerra Viana, Elizete Buranello Perez, Márcio Luiz Verni, Milton Paulo dos Santos, Mônica Estevan, Regina Célia Batista, Rita de Cássia Araujo, Rosinei Aparecida Ribeiro Libório, Sandra Raquel Scassola Dias, Selma Marli Trivellato e Sonia Maria M. Romano. História: Aparecida de Fátima dos Santos Pereira, Carla Flaitt Valentini, Claudia Elisabete Silva, Cristiane Gonçalves de Campos, Cristina de Lima Cardoso Leme, Ellen Claudia Cardoso Doretto, Ester Galesi Gryga, Karin Sant’Ana Kossling, Marcia Aparecida Ferrari Salgado de Barros, Mercia Albertina de Lima Camargo, Priscila Lourenço, Rogerio Sicchieri, Sandra Maria Fodra e Walter Garcia de Carvalho Vilas Boas. Sociologia: Anselmo Luis Fernandes Gonçalves, Celso Francisco do Ó, Lucila Conceição Pereira e Tânia Fetchir. Apoio: Fundação para o Desenvolvimento da Educação - FDE CTP, Impressão e acabamento IBEP Gráca

GESTÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO EDITORIAL 2014-2017 FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Presidente da Diretoria Executiva Antonio Rafael Namur Muscat Vice-presidente da Diretoria Executiva Alberto Wunderler Ramos
GESTÃO DE TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Direção da Área Guilherme Ary Plonski Coordenação Executiva do Projeto Angela Sprenger e Beatriz Scavazza Gestão Editorial Denise Blanes Equipe de Produção Editorial: Amarilis L. Maciel, Angélica dos Santos Angelo, Bóris Fatigati da Silva, Bruno Reis, Carina Carvalho, Carla Fernanda Nascimento, Carolina H. Mestriner, Carolina Pedro Soares, Cíntia Leitão, Eloiza Lopes, Érika Domingues do Nascimento, Flávia Medeiros, Gisele Manoel, Jean Xavier, Karinna Alessandra Carvalho Taddeo, Leandro Calbente Câmara, Leslie Sandes, Mainã Greeb Vicente, Marina Murphy, Michelangelo Russo, Natália S. Moreira, Olivia Frade Zambone, Paula Felix Palma, Priscila Risso, Regiane Monteiro Pimentel Barboza, Rodolfo Marinho, Stella Assumpção Mendes Mesquita, Tatiana F. Souza e Tiago Jonas de Almeida. Direitos autorais e iconografia: Beatriz Fonseca Micsik, Érica Marques, José Carlos Augusto, Juliana Prado da Silva, Marcus Ecclissi, Maria Aparecida Acunzo Forli, Maria Magalhães de Alencastro e Vanessa Leite Rios.
Edição e Produção editorial: Jairo Souza Design Gráco e Occy Design projeto gráco.

CONCEPÇÃO DO PROGRAMA E ELABORAÇÃO DOS CONTEÚDOS ORIGINAIS COORDENAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DOS CADERNOS DOS PROFESSORES E DOS CADERNOS DOS ALUNOS Ghisleine Trigo Silveira CONCEPÇÃO Guiomar Namo de Mello, Lino de Macedo, Luis Carlos de Menezes, Maria Inês Fini coordenadora e Ruy Berger em memória. AUTORES Linguagens Coordenador de área: Alice Vieira. Arte: Gisa Picosque, Mirian Celeste Martins, Geraldo de Oliveira Suzigan, Jéssica Mami Makino e Sayonara Pereira. Educação Física: Adalberto dos Santos Souza, Carla de Meira Leite, Jocimar Daolio, Luciana Venâncio, Luiz Sanches Neto, Mauro Betti, Renata Elsa Stark e Sérgio Roberto Silveira. LEM – Inglês: Adriana Ranelli Weigel Borges, Alzira da Silva Shimoura, Lívia de Araújo Donnini Rodrigues, Priscila Mayumi Hayama e Sueli Salles Fidalgo. LEM – Espanhol: Ana Maria López Ramírez, Isabel Gretel María Eres Fernández, Ivan Rodrigues Martin, Margareth dos Santos e Neide T. Maia González. Língua Portuguesa: Alice Vieira, Débora Mallet Pezarim de Angelo, Eliane Aparecida de Aguiar, José Luís Marques López Landeira e João Henrique Nogueira Mateos. Matemática Coordenador de área: Nílson José Machado. Matemática: Nílson José Machado, Carlos Eduardo de Souza Campos Granja, José Luiz Pastore Mello, Roberto Perides Moisés, Rogério Ferreira da Fonseca, Ruy César Pietropaolo e Walter Spinelli.

Ciências Humanas Coordenador de área: Paulo Miceli. Filosofia: Paulo Miceli, Luiza Christov, Adilton Luís Martins e Renê José Trentin Silveira. Geografia: Angela Corrêa da Silva, Jaime Tadeu Oliva, Raul Borges Guimarães, Regina Araujo e Sérgio Adas. História: Paulo Miceli, Diego López Silva, Glaydson José da Silva, Mônica Lungov Bugelli e Raquel dos Santos Funari. Sociologia: Heloisa Helena Teixeira de Souza Martins, Marcelo Santos Masset Lacombe, Melissa de Mattos Pimenta e Stella Christina Schrijnemaekers. Ciências da Natureza Coordenador de área: Luis Carlos de Menezes. Biologia: Ghisleine Trigo Silveira, Fabíola Bovo Mendonça, Felipe Bandoni de Oliveira, Lucilene Aparecida Esperante Limp, Maria Augusta Querubim Rodrigues Pereira, Olga Aguilar Santana, Paulo Roberto da Cunha, Rodrigo Venturoso Mendes da Silveira e Solange Soares de Camargo. Ciências: Ghisleine Trigo Silveira, Cristina Leite, João Carlos Miguel Tomaz Micheletti Neto, Julio Cézar Foschini Lisbôa, Lucilene Aparecida Esperante Limp, Maíra Batistoni e Silva, Maria Augusta Querubim Rodrigues Pereira, Paulo Rogério Miranda Correia, Renata Alves Ribeiro, Ricardo Rechi Aguiar, Rosana dos Santos Jordão, Simone Jaconetti Ydi e Yassuko Hosoume. Física: Luis Carlos de Menezes, Estevam Rouxinol, Guilherme Brockington, Ivã Gurgel, Luís Paulo de Carvalho Piassi, Marcelo de Carvalho Bonetti, Maurício Pietrocola Pinto de Oliveira, Maxwell Roger da Puricação Siqueira, Sonia Salem e Yassuko Hosoume. Química: Maria Eunice Ribeiro Marcondes, Denilse Morais Zambom, Fabio Luiz de Souza, Hebe Ribeiro da Cruz Peixoto, Isis Valença de Sousa Santos, Luciane Hiromi Akahoshi, Maria Fernanda Penteado Lamas e Yvone Mussa Esperidião. Caderno do Gestor Lino de Macedo, Maria Eliza Fini e Zuleika de Felice Murrie.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo autoriza a reprodução do conteúdo do material de sua titularidade pelas demais secretarias de educação do país, desde que mantida a integridade da obra e dos créditos, ressaltando que direitos autorais protegidos*deverão ser diretamente negociados com seus próprios titulares, sob pena de infração aos artigos da Lei no 9.610/98. * Constituem “direitos autorais protegidos” todas e quaisquer obras de terceiros reproduzidas no material da SEE-SP que não estejam em domínio público nos termos do artigo 41 da Lei de Direitos Autorais.

* Nos Cadernos do Programa São Paulo faz escola são indicados sites para o aprofundamento de conhecimentos, como fonte de consulta dos conteúdos apresentados e como referências bibliográficas. Todos esses endereços eletrônicos foram checados. No entanto, como a internet é um meio dinâmico e sujeito a mudanças, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo não garante que os sites indicados permaneçam acessíveis ou inalterados. * Os mapas reproduzidos no material são de autoria de terceiros e mantêm as características dos originais, no que diz respeito à grafia adotada e à inclusão e composição dos elementos cartográficos (escala, legenda e rosa dos ventos).

Validade: 2014 – 2017